Diário Do Povo - Edição Eletrônica
sábado, 1 de agosto de 2015
RSS
Adicione aos Favoritos
29/11/201230/11/2012
Euro (Compra)  
Euro (Venda)  
Dólar Comercial (Compra)2,09862,1068
Dólar Comercial (Venda)2,09912,1074
Dólar Paralelo (Compra)2,19862,2068

31/7/2015 09:00:00 - Geral

Queda na venda derruba
o preço da gasolina

clique para ampliar

No início do mês de julho, o valor médio do combustível era de R$ 3,19



A crise econômica e o reajuste nos impostos promovido pelo governo federal no início do ano obrigaram postos de combustíveis de Teresina a comercializar o litro da gasolina próximo a R$ 3,00 nas últimas semanas. Ontem, o valor chegou a R$ 3,02 em dois postos do bairro São João, na zona Leste de Teresina. 
Desde o mês de junho, o valor médio da gasolina na maioria dos estabelecimentos na capital era de R$ 3,19. Quem ainda se mantém com os mesmos valores do mês passado é o Diesel e Etanol, com R$ 2,84 e R$ 2,49, respectivamente. 
De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo da capital, os proprietários de postos foram obrigados a entrar 'na guerra' dos preços para recuperar a clientela. Os altos valores atrelados a outros gastos do dia a dia afastaram os consumidores dos postos. Só no mês de julho o sindicato registrou uma queda de 20% na procura por combustível. 
"Como a gasolina é o combustível mais comum, estamos lançando promoções para atrair os consumidores. Ainda não atingimos nossa meta, mas as vendas estão mais significativas", afirmou Geraldo Júnior, gerente de um posto no bairro Ininga, também na zona Leste. Em seu posto, a gasolina está custando R$ 3,07, mas já foi reduzida do preço médio (R$ 3,19) para R$ 3,12 no início de julho.
Muitos consumidores preferiram deixar o carro um pouco de lado e utilizar o transporte público durante a semana. É o caso do professor Flávio Camelo, que está usando o veículo só para casos urgentes. "Achei boa esta redução porque estava muito cara. Com tantos aumentos de impostos mais os filhos pra criar, andar de carro virou artigo de luxo. Agora ta dando para abastecer um pouco mais", comenta. 
Mas os empresários alegam que para manter os preços mais baixos podem ocorrer demissões entre os funcionários dos estabelecimentos, que atendem os clientes. "Se o movimento não voltar ao normal, vamos ter que cortar a folha de funcionários", confirma.
Gerentes dos postos comentam que a esperança de recuperação no movimento vem com o fim das férias. "Esperamos que o mês de agosto traga junto um aumento na procura e que assim possamos reaver os preços e sair dessa crise", afirmou o gerente, Carlos Campos. 
Em fevereiro deste ano, após o decreto do governo federal que reajustou o preço da gasolina e do diesel em R$ 0,22 e R$ 0,15, alguns postos de combustíveis de Teresina ultrapassam o aumento estabelecido e o acréscimo médio chegou a ser o dobro. Alguns lugares chegaram a praticar R$ 3,29 por litro.
Posto mantém preço- apesar do aumento nas "promoções" de gasolina, um posto localizado na rua Magalhães Filho, bairro Marquês, manteve o preço médio de R$ 3,19. A justificativa dada pelo gerente do posto foi conseguir honrar com os compromissos do mês.







© ARPNET Tecnologia em Informações.