Diário Do Povo - Edição Eletrônica
quinta-feira, 31 de julho de 2014
RSS
Adicione aos Favoritos
29/11/201230/11/2012
Euro (Compra)  
Euro (Venda)  
Dólar Comercial (Compra)2,09862,1068
Dólar Comercial (Venda)2,09912,1074
Dólar Paralelo (Compra)2,19862,2068

17/4/2013 09:00:00 - Cidade

Transnordestina tem 2,5% da mão-de-obra
clique para ampliar

As obras estão praticamente paradas devido à falta de trabalhadores suficientes para a sua continuidade



Enquanto as obras da Ferrovia Transnordestina estão em fase de acabamento em Per-nambuco, a poucos quilômetros, já no Piauí, apenas 10% da ferrovia foram erguidas. As duas obras começaram simultaneamente, mas desde 2011 que o trecho no solo piauiense conta no máximo com 250 empregados, ou seja, 2,5% do total previsto para que a obra andasse rápido: 10 mil trabalhadores.
As informações são do sindicalista Edvan Feitosa da Silva, do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada no Piauí (Sintepav). "Aqui, no canteiro (em Paulistana), ninguém sabe explicar a discrepância. Talvez estivesse faltando um maior interesse das autoridades piauienses", disse o sindicalista.
Atualmente, cerca de 200 operários trabalham no canteiro da obra no município de Paulis-tana. Esses trabalhadores são mantidos apenas para não passar a impressão de que a obra está parada. "Eles fazem pequenas pontes e concluem alguns bueiros", disse Feitosa.
O trecho da Transnordes-tina no Piauí é um dos maiores. A estrada deve chegar à cidade de Eliseu Martins (PI) e de lá seguir para o Ceará, interligando os portos de Recife (PE) e Fortaleza (CE). No início da obra, muitas pessoas chegaram a morar e trabalhar em Paulistana, fato que aumentou a economia da cidade que atualmente voltou ao normal.
ACORDO - Mesmo com um número reduzido de trabalhadores na obra, os operários da Trans-nordestina se uniram a outros trabalhadores na construção pesada no Piauí e aprovaram o acordo coletivo da categoria. Patrões e empregados fecharam um reajuste de 9% para os trabalhadores, conforme informou a coordenadora administrativa Taynara de Alencar.
Segundo Regis Freire, presidente do Sintepav-PI, outra grande vitória da categoria foi a cláusula  que determina que as empresas deem uma cesta-básica no valor de R$ 50,00 para cada trabalhador, sendo que o sindicato ainda conseguiu manter a cesta natalina que já vigorava em anos anteriores.
A assessoria de Comunicação da Transnordestina enviou nota dizendo que a ferrovia está em fase de renegociação de parâmetros de preços e prazos com o governo federal. A Transnordestina, com mais de 400 quilômetros de trilhos no Piauí, vai ligar a região aos portos de Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco.




© ARPNET Tecnologia em Informações.